Biopiscina: lazer e cuidado com a natureza

Acredita-se que as primeiras piscinas naturais tenham sido construídas na Europa com o mesmo conceito, e promovendo o surgimento de organizações regulamentadoras para este modelo construtivo. Os primeiros indícios são localizados principalmente na Grécia antiga, com o uso da água como elemento lúdico e terapêutico que aos poucos foi sendo moldado e atualizado convertendo-se ao que hoje é chamado de conceito europeu de biopiscina. Vamos entender um pouco sobre como é tratado lá e aqui também, no conceito brasileiro.


Conceito europeu.

Piscina natural, biológica, ecológica ou biopiscina são termos similares que definem o conceito de piscina constituída por minerais, sedimentos e outros elementos naturais, povoada por seres vivos em sua fauna e flora e preservada sem a utilização de tratamentos químicos.


O que diferencia a classificação deste reduto de beleza e lazer em um ou outro termo ou nomenclatura é a aplicação ou restrição de determinados recursos de tratamento de água por meio de equipamentos e filtros, que pode ocorrer em razão de situações geográficas, históricas ou culturais.


O grande propósito é ir além do recinto contemplativo que proporcionam os lagos ornamentais, por exemplo, e estabelecer uma interatividade tal com esse novo espaço que remeta a uma conexão real com a natureza dentro do seu ambiente de convívio - que promova um cotidiano marcado pela imersão ao natural.


As diretrizes europeias valorizam e conceituam suas biopiscinas com o tratamento de água caracterizado por sistemas biológicos agregados à áreas específicas de filtragem, compostas por plantas aquáticas para a remoção de compostos orgânicos e fixação de nutrientes, e não adotam a utilização de geradores de ozônio de esterilizadores UV. Neste estilo de montagem, os peixes são utilizados meramente como controladores biológicos – são espécies funcionais e a quantidade de exemplares é limitada a este fim.


Em razão dessas características, o estilo europeu exige várias ações mecânicas corretivas, como aspiração do fundo, remoção de algas incrustadas nas paredes laterais entre outros manejos, já que a maior parte dos ambientes aquáticos deste conceito utiliza área de nado profunda, construída em alvenaria e ou pedras, em colunas verticais, com formato de gabião e fundo rígido.


O resultado visual é uma mistura entre área de nado simétrica, margeada por linhas orgânicas plantadas. A água pode estar cristalina em momentos de equilíbrio sistêmico, mas ocorre variação de padrão em momentos de desequilíbrio, provocados por fatores que oscilam entre o desbalanço biológico e a própria interferência no uso do sistema.


O estilo europeu atinge um público específico quanto à questões estéticas, e restringe mais quando se trata de questões de qualidade visual de água, que não agradam o senso da maior parte dos brasileiros, cuja cultura valoriza transparência total, a harmonia e o equilíbrio, quase referências em todas as suas áreas geográficas de belezas naturais.




Conceito brasileiro.

O Brasil é um país de muitas belezas naturais, constituído por população muito miscigenada e, portanto, culturalmente rica e diversificada. O povo brasileiro não se limita a nenhum conceito histórico, modelo construtivo, ambiente de implantação, tipos de tratamento de água e ou utilização de equipamentos. Essa característica de amplitude, acrescida da demanda crescente, multiplica as possibilidades e resplandece na materialização de verdadeiras obras artísticas, tratadas como obras de engenharia estruturada compatibilizadas com as características arquitetônicas idealizadas.

Sendo assim, observam-se ambientes cinematográficos, em todas as modalidades - premissa para o apurado senso estético dos brasileiros, hora com ambiente característico de um único estilo, hora com mescla de estilos, hora com criação de estilo único.

Essa exploração de temáticas, sejam elas balizadas pela similaridade com os ambientes naturais, sejam referências artísticas ou arquitetônicas, aumenta as possibilidades de implantação que têm sido exploradas pelos arquitetos, paisagistas e empresas especializadas.

Aplicam-se ambientes aquáticos vivos (como lagos simétricos, orgânicos, mistos, piscinas naturais etc) em ambientes que podem variar de uma sala de reunião a uma casa de campo, ou de praia.

Diante deste cenário receptivo, muitas empresas e profissionais têm mergulhado nesse mercado tanto para a execução desses ambientes aquáticos, como para a oferta de materiais e produtos correlatos e até mesmo para a oferta de cursos embasados em experiências e métodos utilizados , sem nenhuma validação das informações apresentadas.

Essa realidade emergente convida a mergulhar nesse mundo de água natural com muita cautela na escolha das empresas, profissionais, projetos, materiais, equipamentos etc. Imprescindível avaliar a credibilidade das empresas, a capacidade técnica dos profissionais, a compatibilidade entre os equipamentos, as características dos materiais, a vida útil, o modelo construtivo entre outros detalhes para assegurar a magnitude do resultado.


Como funciona.


Entenda melhor o que deve ser observado, impreterivelmente, com um breve descritivo conceitual do funcionamento do sistema adequado, bem como dos materiais e equipamentos mais utilizados e indicados.


A temática de piscina natural, em sua maioria, possui tratamento de água por recirculação, como a piscina convencional, porém, pelo fato de não se utilizar produtos químicos e estar apoiada em tratamentos biológicos, que são respaldados por equipamentos auxiliares, garante qualidade de água cristalina e alto poder de oxidação de material orgânico.

A circulação funciona 24 horas por dia, já que a passagem de água pelo filtro, além de reter materiais em suspensão, supre as bactérias benéficas com oxigênio dissolvido. A intermitência ou interrupção de circulação compromete a população alocada no filtro biológico.

No retorno da água filtrada, podem-se instalar equipamentos geradores de ozônio, ultravioleta, entre outros, além de válvulas e comando elétrico que trazem segurança para os equipamentos, oferecem gestão operacional e informações para monitorar e ajustar padrões desejados.

Entendam as fases construtivas.

Projeto Visual.

Estudo de locação e layout, levando em consideração a posição em relação ao sol, o estilo arquitetônico e a compatibilização com os elementos de entorno. Ao transformar a ideia em imagens 3D, permite-se o total entendimento da implantação.


Projeto Executivo.

Diante do layout criado, estudam-se as necessidades de infraestrutura sistêmica e elementos arquitetônicos integrados e/ou de entorno.

Além disso, verifica-se o dimensionamento de circulação de água, a malha hidráulica, o cálculo do quantitativo e qualitativo de todos os materiais e equipamentos utilizados e adequa-se às normas vigentes de cada ciência.

Com desenhos em planta, corte, vistas isométricas e explodidas, torna-se possível realizar a montagem fidedigna ao idealizado, dentro da área projetada e preservando as áreas de acesso e operação de manutenção.



Infraestrutura.

Nessa fase, a equipe de engenharia realiza cortes e aterros, constrói a casa de máquinas e outros elementos arquitetônicos criados em projeto, além de implantar pontos de água de abastecimento, água pluvial e energia elétrica. Ou seja, o ambiente fica preparado para receber a montagem da piscina.


IMPERMEABILIZAÇÃO

A membrana EPDM modeladora utilizada acompanha as diferenças de níveis e formatos orgânicos, tem alta durabilidade, mantém suas características (apesar da ação do tempo), é resistente à reação com outros materiais de contato, possui materiais compatíveis e seguros para emendas, para revestimento de elementos arquitetônicos, imersos ou apoiados, e colas específicas para aderência em outras superfícies, além de outras vantagens em relação a outros materiais, o que inviabiliza a substituição por qualquer outro produto disponível no mercado.

Materiais de acabamento.

Utilizam-se pedras naturais como elementos de destaque pontuais ou acabamento de cobertura total do perímetro, e seixos para intertravamento entre as pedras e acabamentos de bordas e arranjos.

A areia branca é normalmente utilizada como substrato de fundo, e a preta, eventualmente, quando o interesse está em evidenciar os peixes e promover neutralidade no ambiente. Essa última cor é mais utilizada em lagos simétricos.

Elementos estéticos naturais de várias modalidades compõem a montagem de saídas de água, que abrangem desde saídas com movimento de areia, cascatas, corredeiras, entre outras opções, até as saídas compostas por elementos figurativos, como bicas, ânforas, monjolos, rodas d´água, entre outros.

A montagem é toda embasada no modelo criativo idealizado e reúne, harmonicamente, os elementos escolhidos com o propósito de criar o mais belo, leve e contemplativo ambiente de interação com a natureza.

Filtragem biológica.

Nada mais é do que um reservatório muito bem dimensionado para a acomodação das mídias de filtragem, que podem ser biológicas e mecânicas ou, ainda, de mídia única com essa dupla funcionalidade. O material filtrante é protegido com uma manta de retenção de partículas maiores para aumentar sua vida útil.

Mídias biológicas são substratos para colonização de bactérias. A escolha do tipo ideal deve estar associada às características do material utilizado e deve possuir uma boa área de superfície por volume por metro cúbico ocupado.

Mídias mecânicas são utilizadas para retenção de material em suspensão. Podem ser utilizadas em forma de camadas sobrepostas e em forma de mantas específicas, descartáveis ou laváveis.


BOMBAS DE CIRCULAÇÃO

As bombas de circulação devem ser dimensionadas de acordo com o volume de água. São preparadas para funcionar no regime de trabalho de 24 horas, com o menor ruído possível e acopladas de maneira que viabilize a manutenção.

BOMBAS DE APLICAÇÃO

São utilizadas para incorporação do gás ozônio na água, por diversas formas, como venturi, tanque de contato, misturador estático, entre outros e podem estar unificadas na tubulação de retorno, com retorno individual ou processo isolado.

ESTERILIZADOR UV

A água em trânsito passa pelo UV e recebe a luz em comprimento de onda específico, que causa a dimerização na cadeia proteica do DNA/RNA e provoca a interrupção da reprodução dos organismos presentes no corpo da água.

GERADOR DE OZÔNIO

O gás ozônio injetado na água é um poderoso oxidante com poder virucida e bactericida, que aumenta o potencial redox da água e produz como principal subproduto o oxigênio. Além disso, o ozônio promove melhorias na qualidade de água por microfloculação de partículas finas, oxida moléculas orgânicas não biodegradáveis (criando moléculas menores e mais biodegradáveis) e degrada moléculas orgânicas refratárias (que causam turbidez) o que proporciona uma água com aspecto impecável.

COMANDOS ELÉTRICOS

Por sinergia de funcionalidade, devem ser responsáveis não só pela alimentação elétrica dos equipamentos, mas também por sua proteção. Para tanto, devem possuir recursos estratégicos específicos.

Por se tratar de um ambiente vivo é imprescindível que o nível de disponibilidade e confiabilidade dos equipamentos atenda as necessidades para suporte à vida aquática.

A automação tem grande importância para proteger, monitorar(local e remotamente), controlar os equipamentos e até parâmetros de água. O uso da tecnologia promove gestão e segurança na operação e manutenção.

AQUECEDOR

Sistemas de aquecimento podem ser acoplados com controle de temperatura em até 28°C, parâmetro este que garante conforto térmico aos peixes de água doce(Verificar espécies). Este tipo de recurso favorece o ambiente tornando-o agradável e convidativo como se fosse sempre verão, mesmo em qualquer outra estação do ano.

ILUMINAÇÃO SUBAQUÁTICA

Com todo o empenho e dedicação detalhados aqui para a criação de um ambiente natural interativo e cenográfico, por que não dar vida noturna a este cenário?

A iluminação é um recurso que agrega charme e elegância ao ambiente e que poderá ser utilizado em qualquer horário, seja em mergulhos recreativos, seja em períodos contemplativos.


Resumidamente… esse é o conjunto básico de informações que favorecem a sua imersão neste mundo natural fantástico. É claro que muitos outros pontos poderão ser tratados em situações reais de implantação de uma piscina natural, de acordo com o seu contexto. Aborde todos os temas com as empresas especializadas, antes da contratação, e descubra todas as possibilidades. Esse comportamento facilitará sua tomada de decisão e lhe proporcionará segurança para acompanhar toda a implementação de maneira leve e prazerosa.


Texto escrito por:

Junior Figueiredo - Natural Lagos

Mais lidos